Integração Sensorial e o quarto de brincar do The Son-Rise Program®

Um pai recentemente perguntou-me se o The Son-Rise Program® podia ajudar crianças com desafios na integração sensorial – e eu diverti-me tanto a responder a essa pergunta que me senti inspirada a partilhar com vocês. O playroom do Programa Son-Rise é um lugar mágico – e é o lugar perfeito para ajudar a sua criança com problemas de integração sensorial.

 “Perturbação do Processamento Sensorial” (por vezes chamado “Disfunção da Integração Sensorial”) significa que o cérebro da criança tem dificuldades a processar e agir face ao estímulo que recebe do ambiente que a rodeia. As crianças podem demonstrar problemas no processamento sensorial de várias formas – podem tapar os ouvidos para se protegerem de alguns sons, resistir ao toque, recusar certos tipos de roupa, sentirem dificuldade em concentrarem-se numa tarefa ou parecerem “trapalhões” nas atividades físicas do dia-a-dia.  

No The Son-Rise Program®, acreditamos na neuro plasticidade – a capacidade do cérebro de criar novos neurónios e construir novas ligações. Uma vez que o cérebro é capaz de desenvolver-se e mudar, as crianças são capazes de aprender a integrar corretamente os estímulos sensoriais. Apenas precisam de algum suporte pelo caminho para conseguirem criar estas novas ligações neurológicas – e o playroom do The Son-Rise Program® é o sítio perfeito para iniciar este processo.

É mais fácil para uma crianças aprender a integrar corretamente um estímulo quando está num ambiente livre de distrações e controlável, onde a criança pode controlar a quantidade de estímulos sensoriais que recebe a cada momento. O playroom é o local perfeito para isso. Imagine tentar desenvolver uma parte importante do seu cérebro enquanto anda pelo centro comercial na véspera de natal – provavelmente sentirá dificuldades em fazer ambas as coisas simultaneamente. Toda a sua energia se perderá ao tentar proteger-se do ambiente avassalador em que se encontra. Se dermos à criança um ambiente tranquilo, o seu cérebro será capaz de começar a construir essas novas ligações, em vez de usar toda a energia do cérebro para se proteger da hiperestimulação.

O playroom também é o local perfeito para implementar a terapia de integração sensorial – para apresentar a criança a uma dieta sensorial saudável. Por exemplo, com uma criança sensível ao toque – no playroom damos controlo à criança, para que ela saiba que não faremos nada que a faça sentir desconfortável. Depois, quando a criança está conectada e motivada para a interação, podemos oferecer simples estímulos sensoriais – por exemplo, escovando lentamente o braço da criança. Se a criança permitir isso, continuamos – para ajudar a criança a habituar-se a este tipo de toque. Depois podemos modificar apertando, “arranhando”, fazendo cócegas, etc. – tudo acrescentando calmamente o estímulo sensorial – sempre com a permissão da criança.

Vimos já muitas crianças com problemas de integração sensorial tornarem-se abertas ao estímulo sensorial depois de passarem algum tempo no playroom do The Son-Rise Program®. E posso dizer-vos por experiência pessoal que é o sentimento mais maravilhoso do mundo receber o primeiro abraço, ou poder cantar a primeira canção a uma criança que antes era defensiva ao som, ou ouvir uma criança rir porque finalmente me permitiu fazer-lhe cócegas. Desejo-vos todos estes momentos lindos nos vossos playrooms!

Com amor para todos,
Carolina


Etiquetas: , ,