Usar o Modelo de Desenvolvimento do The Son-Rise Program®

O Modelo de Desenvolvimento do The Son-Rise Program® está aqui para vos ajudar. Está aqui para vos guiar. É simultaneamente vosso amigo e vosso professor. Apoiar-vos-á e guiará a vossa criança na sua viagem social no nosso mundo. Um mundo com relações significantes com outras pessoas... um mundo de amizade e grupos... um mundo de conhecimento de como comunicar, como socializar, como iniciar e como seguir... um mundo de sucesso social!
Leiam este modelo, estudem-no, amem-no, façam amigos com ele, beijei-o e abracem-no, e saibam que sem ele, o vosso The Son-Rise Program® terá falta de direção e será pouco claro. Aqui fica um pequeno guia passo-a-passo de como usar o modelo com a vossa criança.

1.) Usem-no como um dicionário
Olhem para a visão global dos 5 estágios do desenvolvimento social (págs. 16 e 17 do manual). Cada caixa levar-vos-á através de diferentes capacidades que poderão trabalhar com a vossa criança. Há 4 áreas para trabalhar:
  1. Contacto ocular e comunicação não-verbal
  2. Comunicação
  3. Tempo de atenção interativa
  4. Flexibilidade
As capacidades variam desde o nível 1 (capacidades sociais básicas) até ao nível 5 (capacidades sociais avançadas). Vejam em cada caixa do modelo para lerem sobre cada capacidade. Não há problema se não souberem o que que cada capacidade significa, se usarem o modelo como um dicionário, serão capazes de encontrar um exemplo de cada capacidade para ensinar o vosso filho. Por exemplo, se estiverem a ver o estágio 1 – Contacto Ocular e comunicação Não-verbal (pág.16 do manual) – olhem para a primeira caixa debaixo de “Função do contacto ocular” olha para os outros para começar/continuar uma interação. O que significa isso? Vão à página 18 do manual e irão descobrir uma explicação compreensiva sobre o estágio 1. Procurem Olha para os outros para começar/continuar uma interação (a primeira capacidade) e verão uma descrição do que isso significa (quando param, a vossa criança faz contacto ocular para que comecem/recomecem um atividade). Continuem a usar esta explicação compreensiva para se familiarizarem com cada capacidade.

2.) Traçar a linha de base da sua criança
Criar uma base sobre onde a vossa criança está no seu desenvolvimento social será o próximo passo. Se não souberem o vosso lugar atual, não serão capazes de chegar onde querem. Precisam de um ponto de partida. Usem a visão global, mais uma vez (págs. 16 e 17 do Manual). Terão de ir através de cada tópico em cada estágio, um por um, e avaliar se a sua criança domina a capacidade (adquirida) ou se ainda têm de trabalhar nela (emergente). Para que a vossa criança tenha adquirido uma capacidade, ela necessita de a realizar 80% do tempo. Também precisam de a fazer espontaneamente e quando lhe é pedido. Por exemplo, se pegarmos na mesma capacidade olhar para os outros para iniciar/continuar um interação, se a criança apenas o faz quando lhe pedimos, ela não está adquirida. Terão de ver se quando vocês pausam durante um jogo, se ela olharia para vocês mostrando que queria mais? Será que ela iniciaria uma interação com o contacto ocular ou usaria antes um palavra ou um gesto não verbal?

3.) Definir Objetivos
Uma vez que tenham praticado a arte de perceber o vosso Modelo de Desenvolvimento e depois perceber onde se situa a vossa criança do estágio 1 ao 5 na visão geral (pág. 16 e 17), podem agora começar a selecionar os objetivos do programa que querem focar com a vossa criança. Não escolham mais do que 3 objetivos de uma vez; assim mantêm as coisas consistentes e manobráveis para a vossa equipa e para a vossa criança. Olhem para todas as áreas que a criança ainda não domina (estão a emergir) e façam um círculo à volta daquelas que farão uma grande diferença nas suas brincadeiras. Tentem imaginar a vossa criança com outras crianças da sua idade. O que a ajudará a ter mais sucesso socialmente? Por exemplo, se a criança está no estágio 1 do contacto ocular e no nível 3 em tudo o resto, então o contacto ocular seria o nosso objetivo primordial. Se ela está no estágio 4 da linguagem, mas no estágio 2 da flexibilidade, então escolham um objetivo da flexibilidade.

4.) Usem o vosso senso comum
Poderão ver alguns intervalos ao longo do tempo durante o qual a vossa criança não mostra uma capacidade, por exemplo está no estádio 1, mas na verdade está quase no estágio 3. Por exemplo, a criança pode falar com frases, ter uma conversa de dois loops e perguntar e responder a perguntas (estágio 3), mas não mover os outros fisicamente par alcançar o que deseja (estágio 1). Usem o vosso senso comum para pensar sobre isso. Se a criança tem a capacidade de pedir o que quer e usa facilmente a linguagem, pode não precisar de mover os outros fisicamente para alcançar o que deseja. Então, nesse caso, eu não iria escolher esse como um dos meus objetivos. Se a criança tem 15 anos e interage apropriadamente com um colega (estágio 4) e não interativo no que toca a atividades de envolvimento físico, como cócegas e abraços (estágio 1), então eu não escolheria necessariamente esse ponto como um objetivo porque a maioria das crianças com 15 anos não brinca tipicamente aos abraços e cócegas.

5.) Divirtam-se
Divirtam-se a usar esta ferramenta com a vossa equipa e a vossa criança. Não tem que ser perfeito! Não tem que ser muito sério! Empurrem os objetivos para cima da criança! Convidem a vossa criança a experimentar os objetivos, mostrem-lhe que é divertido tentar e lembrem-se sempre de desafiá-la apenas quando ela estiver motivada. Desta forma, será mais provável que atinja com sucesso os seus objetivos. Uma vez que a criança atinja um dos objetivos, escolha outro.


Traduzido de: http://blog.autismtreatmentcenter.org/

Etiquetas: , ,