O Son-Rise Program® pode ajudar o meu filho a dormir à noite!

Da Becky Damgaard, Professora do Son-Rise Program ® no Autism Treatment Center of America



Questões de sono são uma preocupação muito frequente dos pais de crianças no Espectro do Autismo. Se o seu filho não dorme durante a noite, não se deita tão cedo quanto você desejaria, ainda dorme na sua cama, ou qualquer outra versão do mesmo e você está ansioso pela mudança – por favor continue a ler!

O primeiro sítio a verificar quando ajuda o seu filho com questões de sono é a consistência das suas rotinas nocturnas. Analisar esta rotina funciona em primeiro lugar por permitir compreender o que poderá estar a acontecer na rotina do seu filho (ou falta dela). Sendo os seres espantosos, espertos, capazes como são, as nossas crianças não fazem nada que não lhes seja útil a um nível qualquer. Portanto, queremos olhar para a situação com os nossos óculos de detective postos e descobrir o que é que os nossos filhos podem estar a ganhar com esta experiência (n.t. de não dormir) pela forma como lhes reagimos a eles e às suas dificuldades em dormir. Por isso pergunte a si mesmo: “O que é que eu faço quando o meu filho acorda durante a noite?”, “Como é que eu reajo quando ele chama por mim?”, “Como é que me sinto?”, “Mantenho-me calma e descontraída?”, “Estabeleço os meus limites e mantenho-me firme neles?”, “Acalmo o meu filho em vez de lhe permitir que encontre uma forma de se acalmar a si próprio?”, “Estou tão cansada e frustrada que me sinto vencida e trago o meu filho para a minha própria cama outra vez, noite após noite?” Faça-se a si mesmo perguntas sobre a situação para encontrar o que é que está a funcionar que faz com que o seu filho se mantenha nesta cena.

Ao fazer isto, por favor aperceba-se de que você sempre teve a melhor das intenções! Você está a fazer o melhor que pode e por vezes pode ser mais fácil acomodar o seu filho a meio da noite porque poucas horas de sono são melhores que sono nenhum… certo? Bem, o que se passa é o seguinte, o nosso filho passa então a associar que quando chora nós entramos em cena. Esta torna-se uma forma fácil para ele de comunicar considerando que para a maior parte das crianças no Especto do Autismo a comunicação é um desafio.

A nossa sugestão: Escolha uma semana em que sabe que não haverá nada de especial, fora do vulgar ou importante (por ex., não escolha uma altura em que tem visitas de familiares ou uma grande reunião de trabalho, etc.). Esta seria a semana em que não seria o fim do mundo se você tivesse o seu sono interrompido durante um par de noites – passar por este período de privação de sono ajudá-lo-á a dormir mais a longo prazo. Depois faça o seguinte:

Primeiro, defina uma hora razoável de ir para a cama (digamos 8:00 da noite por exemplo) e uma hora razoável para acordar (digamos 7:00 da manhã por exemplo). Mantenha-se firme na ideia de que é isto que quer! Acredite que isto ajudará, será útil, benéfico para a família e benéfico para o seu filho. Quanto mais todos vocês dormirem, mais descansados se sentirão, o que vos permitirá manter uma atitude positiva e descontraída para os dias que se seguem. Isto será benéfico para toda a família! Uma hora antes da hora de dormir, comece a explicar ao seu filho que irá para a cama às 8:00 e que você está tão empolgado por irem ter uma boa noite de sono. Explique como se sentirão bem de manhã, que o sono ajudará o corpo a sentir-se descansado e que dormir ajuda a Mamã e o Papá a sentirem-se bem e a terem mais energia para brincar! Basicamente, promovam a ideia do sono de todas as formas possíveis que possam. Depois querem começar a baixar a vossa energia e vão desligar todas as televisões, computadores, etc. (aparelhos que são muito estimulantes para as nossas crianças). Não dêem ao vosso filho nada de beber após, digamos as 6:00 da tarde para eliminar todos os motivos pelos quais ele se levanta durante a noite. Façam a rotina do deitar (por ex., banho, escovar dentes, ler uma história, o que quer que façam normalmente) e então quando chegarem as 8:00, levem-no para a cama dele, deitem-no e digam: “Boa noite querido, eu adoro-te! Até amanhã”, desliguem a luz e saiam.

Se ele começar a fazer birra, a chorar, etc., voltem a entrar, não lhe peguem ao colo, dêem-lhe um beijo e expliquem que mesmo que chorem agora é hora de ir para a cama e de dormir e que se verão na manhã seguinte. Tapem-no novamente, etc., e então… SAIAM! À terceira vez (só se chorarem, chamarem, fizerem birra, etc.) entrem mas não expliquem, digam: “Eu adoro-te, boa noite” e… SAIAM! Às vezes, só a crença e convicção de que esta é a melhor coisa para si e para a sua criança é suficiente para que isto funcione logo na primeira noite (eles apercebem-se de qualquer agitação que nós sintamos e se nós estamos convictos ou não). Outras vezes pode levar duas ou três noites a fazer isto.

Se ele acordar a meio da noite, vá ter com ele uma vez (só para garantir que está em segurança) e depois saia. Nos meus 14 anos de carreira nunca conheci uma criança que se magoasse por chorar, por isso o que pode parecer e soar doloroso e difícil para nós pais é basicamente eles a comunicarem e a tentarem alcançar aquilo que querem – portanto quanto mais reagirmos a isso, mais eles continuarão a fazê-lo. A chave é a consistência! Se você entra e pega nele ao colo, tenta que ele volte a dormir, etc., etc., nem que seja uma vez só, pode ter que voltar ao início do processo outra vez. Se o seu filho é suficientemente crescido para ir até ao seu quarto, fará tudo o que foi dito acima assim que o tiver levado de volta à cama dele (faça isto tantas vezes quantas forem necessárias). Acredite que pode ser mais persistente que ele e eventualmente ele ficará exausto e adormecerá num sono profundo e pacífico.

Também sugerimos que em circunstância nenhuma deverá deixá-lo dormir na manhã seguinte. Acorde o seu filho à hora a que gostaria que o seu filho estivesse levantado (mesmo que você próprio se sinta cansado) e não o deixe fazer sestas. Desta maneira ele estará cansado na noite seguinte e implorará para dormir!

Utilize o seu senso comum e adapte isto ao seu filho. Alguns pais sentem que é eficaz ficar no mesmo quarto com o filho até que este adormeça e depois, ao longo do tempo, vão ultrapassando esta prática. Confie em si próprio e no que lhe parece bem dentro do contexto do seu estilo específico de educação e das necessidades do seu filho.

Considere também a dieta do seu filho. Uma dieta sem Glúten, Caseína e sem açúcar pode ajudar a melhorar o sono. Por vezes a dieta afecta a capacidade da criança adormecer e manter-se a dormir.

Aqui fica, para muitas noites de sono pleno! Bons sonhos meus amigos!


Becky Damgaard, Son-Rise Program Teacher 
Autism Treatment Center of America | http://www.autismtreatmentcenter.org/

Etiquetas: ,